Como se calcula o Preço de Entrada Ajustado?

  • . . .

Observo nas carteiras recomendadas o “Preço de entrada ajustado” porém como se calcula ele, existe alguma desvantagem nesse indicador? Ele é recomendado usar em qual cenário?

Aprendiz Perguntado em em 20 de março de 2018
Carteira.
Adicionar Comentário
1 Resposta(s)
  • . . .

Trecho retirado do site do Economática:

Ajustar por proventos: Existem acontecimentos envolvendo a base acionária da empresa que provocam descontinuidade no preço de suas ações.

Exemplo 1: Se as ações da empresa sofrem um desdobramento (split) onde cada ação antiga é substituída por dez ações novas, a cotação de suas ações vai se reduzir a um décimo de seu valor antes do desdobramento.

Exemplo 2: Se uma ação paga um dividendo de $0,50, sua cotação decrescerá $0,50 imediatamente após o pagamento do dividendo (data EX)

É necessário então que as cotações anteriores a um provento (desde o início do histórico até o dia antes da data EX) sejam ajustadas de maneira a serem comparáveis às cotações pós-provento e a refletir somente valorizações e desvalorizações genuínas

As opções desta função são:

Não : As cotações serão apresentadas em seu valor original, sem estarem ajustadas pelos proventos

Sim, inclusive dividendos: As cotações estarão ajustadas por todos os tipos proventos

Sim, exceto dividendos: As cotações não estarão ajustadas por pagamento de dividendos, mas estarão ajustados por todos os outros tipos de proventos

Por default, o sistema apresenta as cotações sempre na segunda alternativa (Sim, inclusive dividendos). Portanto, se você quiser as cotações originais, você deverá alterar este parâmetro para sua primeira alternativa (Não)

As fórmulas abaixo apresentam o cálculo do fator de ajuste para cada tipo de provento. O fator de ajuste é o numero pelo qual são multiplicadas todas as cotações anteriores ao provento (desde o início da série até o dia anterior ao provento) de maneira que as cotações anteriores ao provento sejam comparáveis às cotações posteriores ao provento

Dividendo: F = 1 – D / Pu

 

Bonificação: F = 1 / (1 + b)

 

Desdobramento: F = 1 / d

 

Redução de Capital: F = 1 / (1 – r)

 

Grupamento: F = g

 

Subscrição: F = (Pu + s * S) / ((1 + s) * Pu)

 

Cisão: F = (1 – c / 100)

 

Outros tipos de proventos: Os outros tipos de proventos (Colocação de ações, Conversão de títulos em ações, etc) não criam descontinuidade na cotação e portanto não requerem ajustes nas cotações anteriores

Legenda:

F = fator de ajuste

 

D = Valor do dividendo

 

Pu = Preço original na última data “com” (data imediatamente anterior à data EX)

 

b = Quantidade de ações novas recebidas por cada ação possuída

 

d = Quantidade de ações novas que substituirão cada ação antiga

 

r = Quantidade de ações canceladas para cada ação possuída

 

g = Quantidade de ações antigas que serão substituídas por cada ação nova

 

S = Preço da subscrição

 

s = Quantidade de ações novas ofertadas por cada ação possuída

 

c = porcentagem que a parte cindida representava do valor de mercado da empresa antes da cisão

Faixa Preta Respondido em 20 de março de 2018.
Adicionar Comentário
  • Perguntas relacionadas

  • Disclaimer

    As respostas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Suno Research. Caso encontre algo que viole os nossos termos de uso, denuncie.

  • Sua resposta